Fila no INSS atrasa benefícios por incapacidade
Benefícios

Fila no INSS atrasa benefícios por incapacidade

INSS Previdência Pente-Fino Revisão Antencipação Salário Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo MEi Consignado

Fila no INSS atrasa benefícios por incapacidade. A crise no atendimento do INSS atrasará o início do pente-fino que o governo de Jair Bolsonaro pretende fazer em benefícios por incapacidade e no BPC (Benefício de Prestação Continuada). Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

Após seguidos adiamentos em 2019, a Secretaria de Previdência havia comunicado a intenção de iniciar as revisões neste mês, o que acabou por não acontecer.

15 perguntas e respostas no INSS em 2020 para revisão

O novo atraso no pente-fino é provocado por dificuldades enfrentadas pelo INSS para disponibilizar funcionários para testar e operar o novo sistema de agendamento de perícias desenvolvido recentemente pela Dataprev (empresa de tecnologia da Previdência), informou uma fonte do setor. 

O INSS enfrenta uma crise causada pela combinação da redução de pessoal, devido à aposentadoria de servidores sem reposição por meio de novos concursos, e pelo crescimento na quantidade de pedidos de benefícios nos meses que antecederam a reforma da Previdência. 

Atualmente, cerca de 1,3 milhão de segurados esperam pela análise de requerimentos por período superior ao prazo legal de 45 dias. Ao todo, a fila tem cerca de 2 milhões de pessoas à espera de um benefício.

A crise resultou na demissão do presidente do INSS, Renato Rodrigues Vieira, que ficou um ano no comando do órgão. O cargo será ocupado pelo secretário de Previdência, Leonardo Rolim.

Anunciada no início da gestão de Bolsonaro como uma das primeiras medidas para combater fraudes e reduzir gastos com benefícios, a revisão dos benefícios por incapacidade teve sucessivos adiamentos durante o ano passado. 

Inicialmente, os atrasos eram atribuídos à demora da Dataprev para entregar um sistema que permitisse a seleção e convocação dos beneficiários a serem incluídos no pente-fino. O sistema ficou pronto para começar a ser testado no final do ano passado.

Motivos que levam ao cancelamento do Auxílio Doença INSS

Apesar de gestões anteriores já terem realizado revisões nos benefícios por incapacidade, o pente-fino planejado pelo governo Bolsonaro demandava um sistema capaz de cruzar dados diferentes daqueles que foram utilizados em revisões anteriores.

Os auxílios-doença são o principal foco da próxima fase do pente-fino, mas também deverão ser convocados pela perícia médica da Previdência beneficiários que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada) devido a algum tipo de deficiência.

Embora o pente-fino também possa revisar aposentadorias por invalidez, esses benefícios não devem entrar na lista por enquanto. A avaliação é que as irregularidades, nesses casos, foram praticamente esgotadas pelo pente-fino realizado na gestão do ex-presidente Michel Temer.

Para realizar a revisão, o governo pagará bonificação para os médicos peritos, que receberão R$ 61,72 por exame realizado.

Procurados pela reportagem, a Secretaria de Previdência, o INSS e a Dataprev não comentaram.

Pagamentos irregulares

Além de reavaliar benefícios por meio de perícias, o governo realiza um programa de revisão nos pagamentos realizados pelo INSS que possuem indícios de irregularidade. Essa análise alcança todos os tipos de benefício, como aposentadorias e pensões por morte. 

Para ampliar a capacidade de análise e revisões de processos, o programa prevê o pagamento de bônus aos servidores administrativos que trabalharem fora do expediente normal.

A bonificação para o programa de combate a fraudes é de R$ 57,50 por processo administrativo avaliado.

Até dezembro, o pente-fino nos pagamentos com indícios de irregularidade já havia cessado ou suspendido 261 mil benefícios em todo o país. Na ocasião, o governo estimou economia mensal de R$ 336 milhões com os cortes, podendo chegar a R$ 4,3 bilhões por ano.

Cortes atingiram 78% dos auxílios revisados

O pente-fino nos benefícios por incapacidade do INSS realizado pelo governo do ex-presidente Michel Temer cortou mais pagamentos do que o esperado.

Entre julho de 2016, quando a revisão teve início, a 31 de dezembro de 2018, peritos da Previdência examinaram 1,18 milhão de beneficiários de auxílios-doença e aposentadorias por invalidez.

Dos 472,3 mil auxílios reavaliados, 369,6 mil (78%) foram cancelados. No início do pente-fino, o governo estimava cortar até 20% dos auxílios de 530 mil segurados esperados para serem periciados. A previsão, portanto, era encerrar 106 mil auxílios-doença.

Em relação às aposentadorias por invalidez, 712,8 mil beneficiários foram examinados, sendo que 208,9 mil (29,3%) perderam suas rendas após as avaliações.

Mudanças no INSS que afetaram a Aposentadoria por Invalidez

REVISÃO | QUEM PODE SER CHAMADO

Existem situações que aumentam a chance de um beneficiário por incapacidade entrar no pente-fino do INSS

Inválido com renda

  • Aposentados por invalidez só recebem esse benefício porque não podem trabalhar
  • O pente-fino vai procurar saber se pessoas nessa situação têm atividade remunerada
  • O recebimento de uma renda pode, eventualmente, indicar que não existe invalidez 

Incapacitado volta ao trabalho

  • O pagamento do auxílio-doença será irregular se o segurado voltar a receber salário enquanto estiver afastado

Doença surgiu antes da carência

  • O auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez têm carência de 12 contribuições mensais
  • Não há direito quando a incapacidade aparece antes de o segurado completar os pagamentos
  • O órgão poderá revisar laudos, perícias e outras provas para verificar o início da incapacidade

Benefícios sem perícia há seis meses

  • O pente-fino encurta de dois anos para seis meses a reavaliação do benefício por incapacidade
  • Até beneficiários que já passaram pelo anterior, do governo Temer, podem ser chamados

Atenção

  • Não há regra que impeça a análise de indício de fraude no benefício do idoso inválido
  • A proteção garantida a ele pelo Estatuto do Idoso apenas impede a realização de nova perícia 

Auxílio-doença concedido na Justiça

  • Auxílios concedidos na Justiça não têm data programada para serem encerrados
  • Esses beneficiários de auxílios-doença têm grandes chances de serem chamados

QUEM FICA LIVRE DA NOVA PERÍCIA

  • Segurados que têm a partir de 55 anos de idade e recebem o benefício por incapacidade há mais de 15 anos. É considerado o período em que recebeu a aposentadoria por invalidez e também o auxílio-doença que a precedeu
  • Aposentados por invalidez que têm a partir de 60 anos

COMO DEFENDER A SUA RENDA

Quem cair no pente-fino do INSS deverá agendar o atendimento por meio de um dos canais de contato com o INSS:

Por telefone

Ligue 135, de segunda a sábado, das 7h às 22h

Pela internet

  • Baixe o aplicativo Meu INSS ou acesse meu.inss.gov.br
  • Para fazer o primeiro acesso, é preciso cadastrar senha

Convocações

  • Os segurados incluídos no pente-fino são comunicados por carta e caixas eletrônicos da rede bancária
  • Quem está cadastrado no Meu INSS também pode ser avisado quando entrar no sistema com a senha 

Prazos

  • Quando existe apenas uma falha de cadastro, o segurado tem 30 dias para procurar o INSS
  • O prazo é contado a partir do momento em que o beneficiário é notificado pelo instituto
  • Se o pente-fino já identificou uma irregularidade, é aberto prazo de 30 dias para a defesa
  • No caso do trabalhador rural, o prazo para a apresentação da defesa é de 60 dias
  • O INSS publica o nome de quem não respondeu à convocação no “Diário Oficial da União”

Recurso

  • Depois de analisar a defesa, o INSS ainda pode suspender o benefício
  • Nesse caso, o segurado terá 30 dias para recorrer à Junta de Recursos
  • O pedido também pode ser apresentado por meio do site Meu INSS
  • Caso a Junta não aceite o argumento do segurado, o pagamento é cancelado

Reposta do INSS deve sair em 60 dias

To Top