Erros no Cnis que podem ser corrigidos pelos segurados
Benefícios

Erros no Cnis que podem ser corrigidos pelos segurados

Tudo sobre o CNIS

Erros no Cnis que podem ser corrigidos pelos segurados Um dos principais documentos utilizados pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para definir se um trabalhador já pode se aposentar é o Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais). Para quem planeja pedir a aposentadoria em 2022, o ideal é que o cadastro esteja totalmente regularizado até o fim deste ano.

O Cnis é o banco de dados oficial do governo e reúne informações sobre vínculos trabalhistas e contribuições previdenciárias dos trabalhadores. Esses registros também são usados para definir o valor do benefício que o segurado receberá, pois lá também estão registrados os salários.

“Esse documento é uma declaração que reflete o tempo de contribuição e os salários e vale como prova de filiação à Previdência Social. Se eu tenho dados errados ou não tenho dados lançados lá, meu benefício estará errado”, diz a advogada Sara Tavares Quental, do Crivelli Advogados Associados.

Segundo o INSS, “a inconsistência [no Cnis] é resolvida quando [o segurado] for se aposentar ou precisar de algum benefício”.

Entretanto, a advogada orienta aos trabalhadores que não esperem o momento de se aposentar para pedir as retificações. “O Cnis completo e correto agiliza a concessão dos benefícios, porque evita que o INSS emita as cartas de exigência. É importante não deixar para a última hora”, diz.

Sara informa que, mesmo depois de a aposentadoria já ter sido concedida, o beneficiário pode fazer retificações e, assim, pedir a revisão do valor recebido. Para isso, é preciso que a aposentadoria tenha sido liberada há menos de dez anos.

O acesso ao Cnis pode ser feito pela internet, no Meu INSS. Se a pessoa perceber algo de errado, terá de ligar no 135 e fazer o pedido de correção. Aerá aberta uma tarefa no Meu INSS para que o segurado envie os documentos que comprovem vínculos ou contribuições.

To Top