Veja calendário e como fazer no INSS a prova de vida obrigatória
Benefícios

Veja calendário e como fazer no INSS a prova de vida obrigatória

Fachada do Prédio da Previdência Social INSS em Brasília

Veja calendário e como fazer no INSS a prova de vida obrigatória Aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) que ainda não fizeram a prova de vida obrigatória em 2021 devem ter atenção, já que os prazos começam a vencer agora em janeiro. Se atrasar, o pagamento do benefício é bloqueado e, depois de um tempo, se nada for feito, é cancelado.

A medida é uma forma de provar que a pessoa está viva para que os pagamentos continuem sendo feitos. A exigência havia sido suspensa entre março de 2020 e maio de 2021 e em outubro, início da pandemia e o segundo pico de casos da doença.

Segundo o INSS, são ao menos 3,3 milhões de segurados que precisam fazer, entre janeiro e abril, a prova de vida referente ao ano passado. Os pagamentos das aposentadorias e das pensões começam a ser suspensos em fevereiro se isso não for feito.

Para evitar aglomerações nas agências bancárias, o órgão estabeleceu um cronograma baseado no mês de nascimento.

Veja o calendário

  • Até 31 de janeiro de 2022 – quem tem prova de vida vencida entre novembro de 2020 e junho de 2021. Caso não seja feita nova validação, a suspensão do benefício começa em fevereiro
  • Até 28 de fevereiro de 2022 – quem tem prova de vida vencida entre julho e agosto de 2021. Caso não seja feita nova validação, a suspensão do benefício começa em março.
  • Até 31 de março de 2022 – quem tem prova de vida vencida entre setembro e outubro de 2021. Caso não seja feita nova validação, a suspensão do benefício começa em abril.
  • Até 30 de abril de 2022 – quem tem prova de vida vencida entre novembro e dezembro de 2021. Caso não seja feita nova validação, a suspensão do benefício começa em maio.

Como fazer a prova de vida?

A prova de vida é feita no banco responsável pelo pagamento do benefício. O procedimento pode ser feito nos caixas eletrônicos, com biometria, ou no atendimento pessoal nas agências bancárias, levando o cartão de débito e um documento com foto.

Idosos a partir de 80 anos ou pessoas com dificuldade de locomoção podem pedir visita em domicílio. É necessário agendar um horário pelo telefone 135 ou do aplicativo Meu INSS.

É possível fazer a prova de vida online?

Sim. Quem tem biometria facial cadastrada no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) ou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) podem fazer a prova de vida de forma eletrônica, no aplicativo Meu INSS. Veja como:

1. Ao acessar o aplicativo, aparece na página inicial a opção “prova de vida”. Após tocar em “iniciar prova de vida”, é preciso instalar o app ‘Meu gov.br’ no celular (caso você não o tenha instalado).Imagem: Reprodução

2. No aplicativo gov.br, você deve selecionar a página ‘Autorizações’, e autorizar a realização da prova de vida. Esse é um procedimento de segurança, que vai checar sua biometria facial para comprovar que é você quem está fazendo o pedido.Imagem: Reprodução

3. É preciso abrir a câmera frontal no aplicativo e encaixar o rosto no contorno exibido na tela para tirar uma foto.Imagem: Reprodução

4. Com tudo isso feito, é só voltar ao aplicativo Meu INSS para confirmar se a prova de vida foi reconhecida e aguardar o resultado.

O que acontece se eu não fizer a prova de vida?

Caso você não faça a prova de vida, o benefício será bloqueado (a partir de fevereiro, neste caso). Isso não significa, porém, que ele foi cancelado. Ainda há um “prazo” adicional de três meses para regularização.

Se o beneficiário não fizer a atualização dentro desses três meses, o benefício será suspenso. Se em outros três meses nada for feito, vem o cancelamento.

Como fazer para reativar meu benefício suspenso ou bloqueado?

Segurados com os benefícios bloqueados e suspensos podem reativá-los diretamente no banco.

No caso de cancelamento, o segurado terá que ligar para a central 135 e agendar o serviço de reativação de benefício.

Esse procedimento também pode ser feito pelo aplicativo Meu INSS. Fonte: Economia Uol

To Top