Brasil

Após ação de Bolsonaro, Fux elogia Moraes por atuação em inquérito das Fake News

Após ação de Bolsonaro, Fux elogia Moraes por atuação em inquérito das Fake News

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, elogiou nesta quarta-feira o ministro Alexandre de Moraes por sua atuação à frente do inquérito das Fake News, que tramita na corte, um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro entrar com notícia-crime no STF contra Moraes sob alegação de que ele teria cometido abuso de autoridade.

Em evento de assinatura de acordo de cooperação no combate à desinformação, Fux não citou Bolsonaro ou a decisão do presidente de mover notícia-crime contra Moraes, mas disse que o colega atua à frente do inquérito com seriedade e competência.

“Desde 2019, nas gestões que já se passaram, também o ministro Dias Toffoli, para enfrentar não só desinformação, mas digamos assim verdadeiros ataques ao STF, ele instaurou aqui o inquérito que esteve e está em ótimas mãos, na relatoria do ministro Alexandre de Moraes, que tem conduzido os trabalhos com extrema seriedade e competência que aqui reconheço de público, ministro Alexandre de Moraes”, disse Fux ao colega, que também estava no evento.

O presidente do STF afirmou ainda que o trabalho do inquérito revelou “notícias de atos preparatórios de terrorismo” contra o Supremo, destacando que eles visavam a impelir a corte a se “espojar da sua maior característica que é a independência judicial”.

Na véspera, Bolsonaro entrou com notícia-crime contra Moraes, alegando que o ministro conduz uma “injustificada investigação” no inquérito das Fake News, que tem o presidente como um dos investigados, “quer pelo seu exagerado prazo, quer pela ausência de fato ilícito”.

Moraes, que é atual vice-presidente do TSE e que comandará a corte eleitoral nas eleições de outubro, não discursou no evento. Ele sentou-se ao lado de Fux e do presidente do TSE, Luiz Edson Fachin, na solenidade.

ELEIÇÕES LIMPAS

Fachin, por sua vez, disse que as eleições gerais de outubro ocorrerão de modo seguro, limpo e dentro da legalidade constitucional.

Durante o evento, o presidente do TSE também afirmou que atacar o STF é agredir instituições do Estado Democrático de Direito.

Ao exaltar o programa de combate à desinformação das cortes, Fachin disse se tratar de uma iniciativa de defesa da democracia que, disse ele, está sendo desafiada pela “cultura da falácia”. Na avaliação de Fachin, o programa vem “na hora devida”.

Bolsonaro tem atacado o STF e o TSE e levantado suspeitas sobre o sistema eletrônico de votação sem apresentar quaisquer evidências. Nesta semana, o presidente também disse em discurso a empresários que as eleições deste ano, quando ele tentará a reeleição, podem ser “conturbadas”.

Bolsonaro aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e os levantamentos também apontam que o petista venceria o presidente em um eventual segundo turno.

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI4H0TY-BASEIMAGE

To Top