ANS mudará cálculo de reajuste de planos de saúde

Usuários de planos de saúde podem ter dificuldade de arcar com o reajuste dos convênios nos próximos anos. A diretoria da Agência Nacional de Saúde (ANS) estuda adotar nova forma de cálculo de correção anual, tanto para planos individuais quanto familiares. Os órgãos de defesa do consumidor já mostram preocupação, afirmando que o novo método tende a favorecer mais as operadoras do que os beneficiários dos convênios.

Segundo a ANS, a proposta que deverá substituir o modelo atual combina a variação de despesas assistenciais com o IPCA. A ideia é que a variação represente custos com atendimento a beneficiários, enquanto o índice de inflação cuidará de despesas da operadora, como as administrativas.

Pesquisadora do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Ana Carolina Navarrete afirmou que o órgão analisa documentos disponibilizados pela agência. Ela acredita, no entanto, que a metodologia tende a falhar.

“O problema está na forma da ANS fiscalizar e apurar os dados para o cálculo. Sem a garantia de uma reguladora que efetivamente busque atender ao interesse público, qualquer metodologia vai favorecer as operadoras”, advertiu.

Segundo a pesquisadora, não há clareza nos números. “A ausência de simulações indicando os percentuais aplicados dificulta o entendimento por organizações sobre a magnitude da proposta”, explica.

Em 13 de novembro, a ANS vai ouvir entidades e usuários sobre o estudo em audiência pública as 8h30, no auditório da Secretaria de Fazenda, na Presidente Vargas 670, no Rio. O Procon Carioca já confirmou presença para avaliar a complexidade do cálculo.