Auxílio emergencial de R$ 600 terá recadastramento
Benefícios

Auxílio emergencial de R$ 600 terá recadastramento

INSS Previdência Pente-Fino Revisão Antencipação Salário Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo MEi Consignado

Auxílio emergencial de R$ 600 terá recadastramento. O Ministério da Cidadania informou, em nota à imprensa, que os trabalhadores que se cadastraram no aplicativo Auxílio Emergencial da Caixa Econômica Federal (CEF) entre os dias 7 e 10 de abril, e que até o momento não foram confirmados como elegíveis, podem retornar ao aplicativo e revisar seu cadastro. Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

Segundo o governo, foi feita uma nova atualização do aplicativo para facilitar novos cadastramentos e a revisão dos cadastros já realizados, que por diversas razões, não tiveram a sua elegibilidade confirmada.

Na nota, o ministério reforça que todas as pessoas que “forem elegíveis de acordo com a lei irão receber”.

Segunda Parcela

Governo recua e não vai antecipar segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600

A pasta anunciou na quarta (22) que não poderá antecipar o pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600.

O pagamento da segunda parcela estava previsto para começar no dia 27. Mas, na última segunda (20), a Caixa anunciou a antecipação para esta quinta (23).

Serviços digitais oferecidos através MEU INSS aos beneficiários(Abre numa nova aba do navegador)

Segundo o Ministério, no entanto, como muitas pessoas ainda não receberam a primeira parcela, seria necessária a abertura de crédito suplementar para garantir a antecipação da segunda, além do pagamento da primeira.

“Por fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, estamos impedidos legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela do auxílio-emergencial”, informou o governo federal.

Nesta quinta, a pasta informou que produziu uma nota técnica sobre o tema e já solicitou ao Ministério da Economia uma “previsão para uma suplementação orçamentária o mais rápido possível”.

“Após a definição da suplementação orçamentária a ser feita pelo Ministério da Economia, iremos completar o atendimento da primeira parcela e anunciar o calendário de pagamento da segunda parcela do Auxílio-Emergencial no mês de maio”, acrescentou.

O recurso disponível para cada uma das três parcelas é de R$ 32,7 bilhões e, segundo o Ministério, já foram transferidos R$ 31,3 bilhões, e ainda serão avaliados cerca de 12 milhões de cadastros para a primeira parcela. Fonte G1

Pensionista do INSS poderá receber o Auxílio emergencial do governo?

Pensionista do INSS poderá receber o Auxílio emergencial do governo? Recebo meio salário mínimo por pensão por morte do pai da minha filha. A outra metade vai para o outro filho dele. Não tenho outra renda, sou diarista e pago aluguel tenho direito ao benefício do auxílio emergencial?

Os titulares de benefício da Previdência Social não podem receber o auxílio emergencial, mesmo que preencham todas as outras condições para isso.

Veja dicas para conseguir receber o valor do Teto no INSS(Abre numa nova aba do navegador)

Entenda o que é o auxílio emergencial

É um benefício no valor de R$ 600 (que pode chegar a R$ 1.200 em alguns casos) destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do coronavírus.

Para ter acesso ao auxílio emergencial, a pessoa deve cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

a) ter mais de 18 anos;

b) Estar desempregado ou exercer atividade na condição de:
– Microempreendedores individuais (MEI);

– Contribuinte individual da Previdência Social;

– Trabalhador Informal.

c) Pertencer à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo  (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até 3 (três) salários mínimos (R$ 3.135,00).

Quem não tem direito ao auxílio?

PublicidadeFechar anúncio

– Quem tem emprego formal ativo (ou seja, está trabalhando com carteira assinada);

Como é feito o cálculo do valor do Bolsa Família?(Abre numa nova aba do navegador)

– Quem pertence à família com renda superior a três salários mínimos (R$ 3.135,00) ou cuja renda mensal por pessoa maior que meio salário mínimo (R$ 522,50);

– Quem está recebendo Seguro Desemprego;

– Quem está recebendo benefícios previdenciários, assistenciais ou benefício de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família;

– Quem recebeu rendimentos tributáveis acima do teto de R$ 28.559.70 em 2018, de acordo com declaração do Imposto de Renda.

Quando vou receber o pagamento?

Os primeiros a receber serão aqueles que estão no Cadastro Único, depois os que se cadastrarem pelo app da Caixa e, em terceiro, os do Bolsa Família. Fonte R7


To Top