Estimule a mente com essas 5 técnicas simples

Você pode estar se perguntando, para quê ter uma boa memória, se eu posso acessar praticamente qualquer informação com alguns cliques na internet? Segundo o cientista americano Eric Chudler, estimular a memória é essencial para manter a saúde do cérebro como um todo. Eric é pesquisador da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e coautor de Brain Bytes, e ele deu algumas dicas sobre como melhorar a sua memória, para ajudar nos estudos ou em qualquer outra atividade do cotidiano.

1 – Games

Em uma pesquisa recente feita no Reino Unido, descobriu-se que jogos de computador são excelentes para aguçar a memória de trabalho espacial, que é aquela responsável principalmente por te lembrar onde você deixou suas coisas, como por exemplo a chave do carro. E nada melhor que desenvolver uma habilidade enquanto se diverte, principalmente quando o game requer estratégias para alcançar a vitória. Por exemplo, você pode buscar saber em quais jogos apostar em cassinos online e encontrar um verdadeiro desafio enquanto estimula o intelecto. Neurocientistas da Califórnia e de Nova York também conseguiram demonstrar que os jogos são capazes de melhorar a flexibilidade cognitiva e a memória.

2 – Associação

Criar elos e associar coisas são umas das melhores maneiras de se recordar de algo ou manter uma lembrança viva. Por exemplo, caso você precise comprar suco de laranja, queijo, ovos, pão e leite no mercado, o pesquisador sugere que você tente conectar essas palavras com imagens em sua mente.

  • Sanduíche de ovo com queijo, acompanhado de um copo de suco de laranja
  • O queijo suja o pão de amarelo

            E assim por diante. Se você pretende lembrar de números, principalmente se eles forem muito compridos, como o do nosso CPF, a melhor alternativa é dividi-los em três ou quatro partes.

  • 060 . 427 . 896 . 129

            Também podemos associar o número a uma data importante, ao número da casa de um ente querido ou à idade de um amigo.

            3 – Visualizar

Quando precisar se lembrar de algo, mentalizar a coisa na sua cabeça é uma das melhores alternativas. Essa ação cria diversas conexões cerebrais entre o que você deseja lembrar e o que está visualizando. Segundo o exemplo de Chudler, “Você parou o carro na vaga 5C do estacionamento. Imagine que há cinco cachorros esperando por você no carro. Os cachorros servem para lembrar da letra C. Eles são cinco para lembrar do número cinco, claro”.

            4 – Música

Quem nunca se pegou cantando uma música que nem ao menos gosta, principalmente se ela for simples? Cientistas chegaram à conclusão que melodias simples, repetitivas e que contém alguma palavra diferente ou curiosa tendem a captar melhor a atenção do nosso cérebro. Vários estudos apontam que a nossa memória é muito mais precisa quando está relacionada a letras de música do que a outros tipos de textos. Uma dica efetiva para utilizar a técnica de memorização musical, é escolher músicas populares, que você já conheça a letra, e mantendo o mesmo ritmo da melodia trocar a letra pelo conteúdo que você deseja memorizar.

            5 – Método de loci

Acredita-se que essa técnica foi criada por Simônides de Ceos, por volta do ano 500 a.C., que, após escapar do desabamento de uma residência durante um jantar, conseguiu ajudar no reconhecimento das vítimas após a tragédia pois se lembrava de onde cada pessoa estava sentada à mesa. Essa técnica mistura tanto a visualização quanto a associação, e era bastante utilizada por oradores gregos e romanos. Eles mentalizavam o local onde teriam que se apresentar, geralmente um templo ou anfiteatro, e buscavam objetos ao redor que poderiam associar a sua oratória. Por exemplo, um escudo pendurado na parede, o lembra do discurso importante de uma batalha que estaria por vir. Na série de TV, Sherlock, essa é uma das técnicas usadas pelo famoso detetive da ficção.