Benefícios

Novo cálculo para benefícios por Incapacidade do INSS; entenda as mudanças

Novo INSS
rafastockbr/Shutterstock.com

Novo cálculo para benefícios por Incapacidade do INSS; entenda as mudanças O cálculo do valor dos benefícios por incapacidade do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é um processo automatizado que segue a legislação vigente, determinando o valor mensal a ser pago aos beneficiários. Este processo utiliza as informações de vínculos e remunerações registradas na Previdência Social.

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

Os benefícios previdenciários seguem a Lei 8.213/91, com alterações pela Lei 9.876/99. Existem duas regras principais para o cálculo dos benefícios:

  • Regra Geral: Aplica-se aos segurados que se filiaram ao INSS a partir de 29/11/1999.
    • Cálculo: Média aritmética simples dos maiores salários de contribuição, correspondentes a 80% de todo o período contributivo, multiplicada pelo fator previdenciário.
  • Regra Transitória: Aplica-se aos segurados filiados até 28/11/1999.
    • Cálculo: Média aritmética simples dos maiores salários de contribuição desde julho de 1994, correspondentes a 80% do período contributivo.

ETAPAS DO CÁLCULO DO BENEFÍCIO POR INCAPACIDADE

Etapa 1: Cálculo do “Salário de Benefício” O “Salário de Benefício” é a base para calcular a Renda Mensal Inicial (RMI). O cálculo varia conforme a regra aplicável:

  • Regra Geral: Considera contribuições a partir de 29/11/1999. O sistema soma os maiores salários correspondentes a 80% do período contributivo.
    • Exemplo: Se o segurado tem 200 meses de contribuição, 80% são 160 meses. O sistema soma os 160 maiores salários e divide por 160.
  • Regra Transitória: Considera contribuições a partir de 01/07/1994. O sistema soma os maiores salários correspondentes a 80% do período contributivo.
    • Exemplo: Se o segurado tem 250 meses de contribuição, 80% são 200 meses. O sistema soma os 200 maiores salários e divide por 200.

Etapa 2: Cálculo da Renda Mensal Inicial (RMI) Após determinar o “Salário de Benefício”, o INSS aplica regras específicas para calcular a RMI, que varia conforme o tipo de benefício:

  • Auxílio-Doença: Calculado com base na média dos 12 últimos salários de contribuição, limitada à média desses salários.
    • Exemplo: Se a média dos 12 últimos salários é R$ 2.200,00 e o “Salário de Benefício” é R$ 2.000,00, a RMI será R$ 1.820,00 (91% do “Salário de Benefício”).
  • Auxílio-Acidente: 50% do “Salário de Benefício”.
    • Exemplo: Se o “Salário de Benefício” é R$ 2.000,00, a RMI será R$ 1.000,00.
  • Aposentadoria por Invalidez: 100% do “Salário de Benefício”.
    • Exemplo: Se o “Salário de Benefício” é R$ 1.000,00, a RMI será R$ 1.000,00.

COMO SOLICITAR BENEFÍCIOS E REVISÕES

Os beneficiários podem solicitar os benefícios por incapacidade e suas revisões pelo aplicativo ‘Meu INSS’. É importante ter todas as informações e documentos corretos para evitar atrasos.

Emitir Extrato de Contribuição (CNIS) O CNIS é um documento que informa vínculos, remunerações e contribuições previdenciárias. Existem três tipos de extratos:

  • Relações Previdenciárias
  • Relações Previdenciárias e Remunerações
  • Ano Civil (a partir de 11/2019)

Saiba tudo sobre o Meu INSS

O Meu INSS é uma ferramenta criada para dar maior facilidade à vida do cidadão. Pode ser acessada pela internet do seu computador ou pelo seu próprio telefone celular (Android e IOS).

Para conhecer, digite o endereço gov.br/meuinss ou instale o aplicativo Meu INSS no seu celular, e tenha acesso a mais de 90 serviços oferecidos pelo INSS, sem sair de casa.

É a Agência da Previdência Social na palma da sua mão!

Para utilizar esses serviços é necessário se cadastrar e obter senha, no próprio site ou aplicativo.

To Top