Destaque Cidade

Ingresso de times em SP vai de R$ 20 a R$ 180

Corintianos, são-paulinos e palmeirenses pagam preços diferentes para ver seus times no estádio. Levantamento mostra que o clube alviverde é o que costuma cobrar mais caro pelos ingressos dos jogos. O valor chegou a ser nove vezes o cobrado pelo São Paulo, que tem as entradas mais baratas. Já o Corinthians é o clube que mais varia o preço na temporada atual.

Em seus primeiros jogos na Libertadores, o Palmeiras chegou a cobrar o valor mínimo de R$ 180. Já o São Paulo costuma praticar preços que giram em torno de R$ 20.

O levantamento levou em consideração o valor do tíquete mais barato praticado pelas equipes em jogos do Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana.

Os clubes dão argumentos diferentes para justificar os preços dos bilhetes, mas há variáveis em comum: a importância do jogo, o dia e o horário da partida, além do momento na temporada.

Corinthians e Palmeiras também justificam os valores mais altos dizendo oferecer serviço diferenciado em suas novas arenas, ambas inauguradas em 2014, com atrações que vão além do jogo.

O clube alviverde, por exemplo, organiza ações para entreter crianças e adultos, como a possibilidade de tentar marcar um gol do meio de campo antes dos jogos. A arena ainda possui restaurante japonês e espaços para jogos de salão.

Em Itaquera, o estádio alvinegro possui espaço para pequenos shows realizados antes de alguns jogos e uma loja oficial do clube. Também há brincadeiras no gramado.

Líder do Campeonato Brasileiro, o São Paulo diz estudar o borderôs dos últimos quatro anos e meio para entender como funcionam as questões de ocupação de seu estádio, inaugurado em 1960 e finalizado na década seguinte.

Com capacidade de 67 mil lugares, o clube admite que o seu palco é defasado em relação aos dos rivais. Porém, diz que pode praticar preços mais acessíveis por possuir um estádio com maior capacidade do que os de Corinthians (48 mil) e Palmeiras (43 mil).

A equipe tricolor, que teve bilhetes a R$ 20 no início do Brasileiro, terá contra o Ceará, no domingo (26), seu ingresso mais barato, para arquibancadas laranja e amarela, por R$ 35. O mais caro sai por R$ 200. No total, existem nove faixas de preço.

No Palmeiras, são seis faixas. O bilhete mais em conta, no Setor Gol Norte, em geral, custa R$ 100. Já o mais caro, na Central Leste, R$ 260. Os valores sobem na Libertadores.

Já os ingressos mais baratos do jogo do Corinthians contra o Colo-Colo, em sua próxima partida pela Libertadores, por exemplo, vão custar R$ 54.

Até julho, a equipe do Parque São Jorge tinha uma política de preços fixos por competição, mas desde o mês passado o clube passou a mudar o preço das entradas dependendo do apelo da partida.

O ingresso para jogo contra um time que está na zona de rebaixamento do Brasileiro em um sábado à noite, por exemplo, é mais barato o de que um duelo de mata-mata.

O clube só conseguiu essa flexibilidade nos preços no fim do ano passado, quando modificou parte do seu acordo com a Caixa e o fundo que administra a arena e conseguiu mais autonomia para estabelecer o preço de seus bilhetes.

A mudança, porém, só ocorreu efetivamente após o Mundial. Antes de colocar o modelo em prática, o clube idealizou novo planejamento financeiro, que foi implantado, aos poucos, a partir de maio.

“Até a Copa, valia a política da gestão anterior, enquanto analisávamos a melhoria. Começamos a nossa, ainda de forma experimental”, diz Luis Paulo Rosenberg, diretor de marketing do Corinthians.

Até o fim do ano, o time alvinegro passará a contar com um software desenvolvido em parceria com o ITA (Instituto de Tecnologia Aeronáutica), para calcular as variáveis e precificar o ingresso e fazer uma projeção de público.

“O que antes a gente definia de forma empírica, agora será científico. Além de determinar o valor do ingresso de acordo com o jogo, o clima, o dia e horário, também será possível prever estimativa de público de acordo com o preço do bilhete”, diz Rosenberg.

A variação também difere na arrecadação de cada clube. O Palmeiras, por exemplo, faturou no ano passado R$ 74 milhões só com venda de bilhetes, enquanto o São Paulo ganhou R$ 26,9 milhões.

Por não ficar com a arrecadação da bilheteria, que vai direto para um fundo para pagar seu estádio, o Corinthians não divulgava até o ano passado o valor arrecadado.

Outra fonte de renda relacionada aos ingressos são os programas de sócio-torcedor. O time alviverde arrecadou em 2017 R$ 47 milhões dessa forma. O São Paulo ficou com R$ 10,7 milhões. O Corinthians divulga o valor arrecadado no Fiel Torcedor junto com premiações e loterias, o que rendeu R$ 35 milhões.

Ingresso de times em SP vai de R$ 20 a R$ 180
To Top